Confirmados 5 casos de papeira na Secundária de VRSA

0
882

A notícia foi avançada esta noite pela Administração Regional de Saúde que “reconheceu a existência de cinco casos de parotidite epidémica confirmados, dois em análise e acrescenta que a transmissão pode ocorrer ainda antes dos sintomas”. Citado pela agência noticiosa Lusa.

As autoridades de saúde ainda estão a conhecer a “verdadeira dimensão” do surto. E perante informações que davam conta da existência de múltiplos casos desta doença numa escola de Vila Real de Santo António, distrito de Faro, a agência Lusa questionou a ARS do Algarve e o seu Departamento de Saúde Pública e Planeamento reconheceu a existência de cinco casos de parotidite epidémica confirmados e dois em análise.

Conheça os sintomas

A mesma fonte, que não precisou o número exato de casos prováveis “sob investigação” e a “aguardar mais informação”, esclareceu que se trata de uma “doença infecciosa provocada por um vírus (paramixovírus)”, que é “habitualmente benigna” e “se transmite através das gotículas de saliva, durante a tosse, espirro ou a conversação, ou através da partilha de objetos e utensílios como copos”.

A transmissão pode “ocorrer ainda antes do aparecimento dos sintomas” e os sintomas principais são o “aparecimento de febre, dores de cabeça, dores musculares e cansaço, seguindo-se o aumento de volume das glândulas parótidas (glândulas salivares)”.

O organismo que gere a saúde no Algarve garantiu que “a equipa responsável pela investigação do surto, sob a coordenação do Departamento de Saúde Pública e Planeamento da ARS Algarve, está a trabalhar, em estreita colaboração com o Delegado de Saúde local, com os diferentes serviços de saúde e com a escola secundária de Vila Real de Santo António, de forma a conhecer a verdadeira dimensão do surto e a facilitar a implementação das medidas de prevenção e controlo”.

As pessoas que tenham sintomas característicos da doença para que contactem telefonicamente a Linha Saúde 24 (808 24 24 24) ou a equipa de saúde familiar e cumpram todas as recomendações prescritas.

Afastamento dos doentes durante 9 dias

Ao ser detetado o aumento das glândulas parótidas é indicado um período de “afastamento social’ dos doentes durante um período de nove dias” e realizada “a vigilância dos contactos próximos”, assim como “verificação do seu estado vacinal e a atualização da vacinação, sempre que tal se verifique necessário”, acrescentou a ARS do Algarve.

A mesma fonte sublinhou, no entanto, que “a vacinação contra a parotidite epidémica não evita todos os casos de doença” e “não é rara a ocorrência de surtos em populações com elevada proporção de vacinados, em ambientes em que o contacto interpessoal é próximo e frequente”.

“O Departamento de Saúde Pública e Planeamento da ARS Algarve, a Unidade de Saúde Pública Local (Agrupamento de Centros de Saúde do Sotavento), o Centro Hospitalar Universitário do Algarve e a escola continuarão atentos à evolução deste surto e a desenvolver as medidas consideradas necessárias ao controlo da situação”, assegurou ainda a ARS

Publicidade
Partilhar
Susana Helena De Sousa
Formação Superior em Jornalismo (Carteira Profissional 9621): Especialização em Imprensa Escrita pelo Centro Nacional de Formação de Jornalistas (CENJOR) Formação media pela Representação da Comissão Europeia em Portugal Experiência em Jornalismo: Rádio (Voz D'Almada, PAL FM, Guadiana FM), Televisão (TVI, AXN, RTP, Canal História) e Imprensa Escrita (Jornal de Setúbal, Semanário O Algarve, Jornal i, Jornal do Baixo Guadiana); Tese de Licenciatura Bi-Etápica: «Serviço Público de Televisão», (publicação com entrevista a Carlos Pinto Coelho) Co-produção, realização e apresentação do programa de Rádio «Se Dúvidas Existem...», do Núcleo de Estudos e Intervenção Psicolõgica de VRSA Co-produção, realização e apresentação do programa «Viver Aqui», do Núcleo de Imigração da Cruz Vermelha Portuguesa de VRSA para o Alto Comissariado para o Diálogo Intercultural Assistente de Realização para Televisão Produtora para Televisão Escrita para Reportagens Televisivas Escrita de Documentário para TV «O Contrabando no Baixo Guadiana» Escrita do texto filme documental «Um Dia na Santa Casa», de Eduardo Soares Pinto Formação Avançada em Dança Contemporânea (CIRL) Formação Inicial em Teatro (TAS, Teatro O Elefante) Formação Inicial Interpretação para Televisão (Aloysio Filho pela ACT) Participação em antologia poética «5.50» (Poetas do Guadiana) Escrita de prefácio para obra editada (Os Poetas do Guadiana nos meios de comunicação social) e outra obra inédita Autora convidada do livro de contos «Ruas» de Pedro Oliveira Tavares e João Miguel Pereira Revisão de Livro de Contos inédito de Mouji Soares Curandoria de exposição de fotografia de Eduardo Soares Pinto, Espanha Co-organização da exposição internacional de arte «Minha Fukushima» na Eurocidade do Guadiana, da Peace and Art Society Organização da Exposição «Aline´s Project» em VRSA, da Peace and Art Society Apresentação de Galas Moderação de Debates e Tertúlias Apresentação de Livros Organização de eventos Co-fundadora do Eco&Design Hotel «Monte do Malhão» Co-fundadora da Mostra Internacional de Cinema «FRONTEIRAS» Voluntariado para a área da comunicação em IPSS's

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.