Núcleo do Sporting em VRSA garante uma forte aposta na formação de BTT

0
217
Entre a competição, formação e lazer, o BTT do núcleo sportinguista de VRSA conta com inúmeros atletas

Nascida em 2011 a equipa de competição do Núcleo do Sporting Clube de Portugal de Vila Real de Santo António conta já com um vasto historial de grandes resultados, seja na secção de BTT – classe de competição, seja na mais recente secção de Triatlo (Duatlo Cross).

A equipa de BTT divide-se em três grupos, conta na competição com atletas entre os 15 aos 60 anos, na formação dos 5 aos 14 anos, reservando-se o grupo de lazer com cicloturistas de todas as idades. A partir de 2017 e de modo a dar resposta à vontade demonstrada por alguns dos atletas foi introduzida uma secção de Triatlo. Desde então participa nos regionais do Algarve e Espanha (Huelva) de duatlo e triatlo.

Os responsáveis pela seção de BTT  mostram-se confiantes e dão nota que na presente época, nas classes de competição o núcleo sportinguista tem vários campeões, seja nos regionais do Algarve, seja no provincial de Huelva (BTT-XCO e Duatlo Cross). “Atingimos quase a centena de pódios, em cerca de 240 participações em provas”.

A importância da formação

“A nossa principal fonte de atletas jovens, tanto de competição como em escolinhas é o Desporto Escolar”, quem o explica é o treinador Mário Alpiarça que partilha a função com  Marco Rosa. “Os jovens de hoje são os adultos de amanhã e nós desejamos um futuro melhor”, reforça Mário Alpiarça, que ao longo dos anos tem sido responsável por um grande impulso à prática de BTT nas escolas.  

“Não temos o objetivo de ser uma equipa profissional, nem nos apresentamos como tal. Consideramo-nos acima de tudo uma equipa humilde e trabalhadora, em que a formação e a camaradagem entre colegas é o mais importante”. Mário Alpiarça descreve, assim, o núcleo de BTT do Sporting Clube de Portugal em terras pombalinas.

“O trabalho desenvolvido deixa marcas positivas que podemos assinalar”

Questionado sobre o impacto que o trabalho desenvolvido pela seção sportinguista de BTT tem tido na vida dos atletas, Mário Alpiarça não tem dúvidas em afirmar que “existem vários fatores que levam a verificar que existem diversas marcas muito positivas que já são possíveis assinalar neste percurso”. E elenca a cedência de atletas para equipas de maior dimensão, sendo vários os casos ao longo destes anos. Por outro lado, segundo Mário Alpiarça, conta que “a grande maioria dos jovens que fizeram parte da equipa e que se têm de ausentar por determinado tempo para estudar, trabalhar ou viver longe,  nunca perdem totalmente o contacto e sempre que têm hipótese voltam a estar com o grupo”.

Este professor explica que, inclusivamente, “foi  alterada a trajetória de vida de alguns jovens que em tempos atravessavam diversos problema e cujo o BTT permitiu a modelação de comportamentos, sendo hoje jovens respeitados e com possuem uma vida estável, constituindo um exemplo para muitos”. Indo ao encontro da motivação dos jovens, “na classe de escolas de BTT o mais importante não são os resultados”, nem os jovens são colocados os como cabeças de cartazes, pois “estes estão em formação e o processo de desempenho social, pessoal e desportivo, seja nos treinos como nas provas é o mais importante”. Mário Alpiarça concretiza que “a motivação intrínseca para com a modalidade é o eixo fundamental onde decorre o  processo de treino, sem descurar um trabalho conjunto com os pais e encarregados de educação dos mais novos”.

A rematar “umas palavras de agradecimento aos patrocinadores, que se têm mostrado essenciais também para o percurso feito até aqui e confiante no futuro”.

Publicidade
Partilhar
Susana Helena De Sousa
Formação Superior em Jornalismo (Carteira Profissional 9621): Especialização em Imprensa Escrita pelo Centro Nacional de Formação de Jornalistas (CENJOR) Formação media pela Representação da Comissão Europeia em Portugal Experiência em Jornalismo: Rádio (Voz D'Almada, PAL FM, Guadiana FM), Televisão (TVI, AXN, RTP, Canal História) e Imprensa Escrita (Jornal de Setúbal, Semanário O Algarve, Jornal i, Jornal do Baixo Guadiana); Tese de Licenciatura Bi-Etápica: «Serviço Público de Televisão», (publicação com entrevista a Carlos Pinto Coelho) Co-produção, realização e apresentação do programa de Rádio «Se Dúvidas Existem...», do Núcleo de Estudos e Intervenção Psicolõgica de VRSA Co-produção, realização e apresentação do programa «Viver Aqui», do Núcleo de Imigração da Cruz Vermelha Portuguesa de VRSA para o Alto Comissariado para o Diálogo Intercultural Assistente de Realização para Televisão Produtora para Televisão Escrita para Reportagens Televisivas Escrita de Documentário para TV «O Contrabando no Baixo Guadiana» Escrita do texto filme documental «Um Dia na Santa Casa», de Eduardo Soares Pinto Formação Avançada em Dança Contemporânea (CIRL) Formação Inicial em Teatro (TAS, Teatro O Elefante) Formação Inicial Interpretação para Televisão (Aloysio Filho pela ACT) Participação em antologia poética «5.50» (Poetas do Guadiana) Escrita de prefácio para obra editada (Os Poetas do Guadiana nos meios de comunicação social) e outra obra inédita Autora convidada do livro de contos «Ruas» de Pedro Oliveira Tavares e João Miguel Pereira Revisão de Livro de Contos inédito de Mouji Soares Curandoria de exposição de fotografia de Eduardo Soares Pinto, Espanha Co-organização da exposição internacional de arte «Minha Fukushima» na Eurocidade do Guadiana, da Peace and Art Society Organização da Exposição «Aline´s Project» em VRSA, da Peace and Art Society Apresentação de Galas Moderação de Debates e Tertúlias Apresentação de Livros Organização de eventos Co-fundadora do Eco&Design Hotel «Monte do Malhão» Co-fundadora da Mostra Internacional de Cinema «FRONTEIRAS» Voluntariado para a área da comunicação em IPSS's

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.