Bloco de Esquerda exige a reabertura imediata das estações dos CTT encerradas

0
35
A estação dos CTT encerrou em Novembro de 2018. O atendimento de correios é feito agora na câmara municipal de Alcoutim

Os bloquistas querem reabertura de estações encerradas e não admitem fechos previstos.

O Bloco de Esquerda faz uma retrospetiva e recorda que “o anterior governo PSD/CDS, às ordens do capital financeiro internacional, muito bem defendido pela troica, entregou os CTT ao capital privado. Na altura, foi dourada a pílula, com a estafada narrativa da superior qualidade dos serviços prestados pelos privados, em comparação com a do serviço público”. Segundo a coordenação distrital do Bloco de Esquerda (BE) o encerramento de estações dos CTT – tal como no Baixo Guadiana assistimos em Alcoutim – são «frutos amargos dessa ilusão que vão sendo aqui e ali colhidos pela população e por quem acreditou em conversa fiada».

O BE recorda o encerramento das estações algarvias de Alcoutim e Estoi e refere que se anunciam o fecho das de Sagres e Praia da Luz. “Nos dois primeiros casos, os serviços estão a ser assegurados pelas respetivas autarquias, o que certamente irá também acontecer nas duas estações do Barlavento, com prejuízo claro das populações (Sagres dista cerca de 8 Km de Vila do Bispo, sede de concelho, e Praia da Luz dista 7 Km de Lagos). Os postos agora crucificados e/ou a crucificar no altar do lucro dos investidores privados vão, na melhor das hipóteses, constituir uma sobrecarga para os magros orçamentos das autarquias e causar graves prejuízos às populações locais”, alertam os bloquistas.

Num comunicado à imprensa os bloquistas do Algarve recordam a denúncia do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT), que, por sua vez, vertem que “a inação do governo está a custar a todos nós portugueses, a destruição de um Serviço Público Postal que foi de qualidade e não o está a ser. (…) Um Serviço Público fundamental para a economia e coesão social e territorial do País”. Para este sindicato a não intervenção do Governo faz com que se torne “igualmente responsável pela destruição dos quase 500 anos de história dos CTT”.

“Infelizmente, mantém toda a atualidade o que disse a Coordenadora Nacional do Bloco de Esquerda, faz agora um ano, aquando da concentração convocada pelo BE junto de mais uma estação que nesse dia encerrava em Lisboa. Catarina Martins denunciou que «o incumprimento claro da base do serviço público”, defendeu que os CTT deviam ser resgatados para a esfera pública e sublinhou que “uma ganância absurda está a destruir os CTT».

O Bloco de Esquerda garante que “não vai calar-se perante este fartar vilanagem e, na Assembleia da República, vai apresentar propostas no sentido de reverter esta situação calamitosa. A terminar a nota à imprensa o Bloco de Esquerda exige que “se proceda, de imediato, à reabertura das estações dos CTT encerradas e que seja impedido o encerramento de novas estações. Porém, será determinante a mobilização das populações em defesa dos seus direitos”.

Publicidade
Partilhar

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.