De coletes amarelos utentes prometem mais ações de luta contra portagens na Via do Infante

1
121

No passado sábado Loulé foi palco para mais uma ação de luta da Comissão de Utentes contra as portagens na Via do Infante (CUVI) na mesma altura em que se assinala o o 7.º aniversário “da imposição de portagens no Algarve, pelo governo anterior”, lembrou a CUVI. A ação do dia 8 “foi positiva, em que os seus elementos, envergando coletes amarelos, se manifestaram frente à “Via Livre” (empresa que cobra as taxas de portagens) e pelas ruas da cidade, onde foram bem recebidos e aplaudidos por automobilistas e população”.

Em declarações aos jornalistas, João Vasconcelos, deputado do BE à Assembleia da República e mentor da CUVI “como se comprova, o sentimento de rejeição de umas portagens injustas e criminosas continua bem vivo entre os algarvios, pelos elevados prejuízos sociais e económicos que têm provocado à região, assim como têm contribuído para o agravamento da sinistralidade rodoviária”. E acrescenta que “é imoral e um autêntico crime que a PPP da Via do Infante receba por ano 70 milhões de euros (40 milhões do Estado e mais 30 milhões das taxas de portagem)”.

Os dados das mortes da EN125 

“Um outro crime, é o facto das portagens agravarem os acidentes de viação na EN125 – apelidada de novo a “estrada da morte”. Só este ano ocorreram no Algarve, até 30 de novembro, 9.890 acidentes, com 37 mortos e 186 feridos graves (mais 10 mortos e mais 10 feridos graves que o ano passado). Desde 1 de dezembro de 2017 a 30 de novembro de 2018, devido a acidentes de viação, morreram 40 pessoas e houve 202 feridos graves no Algarve, contra 31 vítimas mortais e 187 feridos graves, entre 1 de dezembro de 2016 e 30 de novembro de 2017. Pela 3.ª vez consecutiva serão mais de 10.000 acidentes rodoviários na região e com muitas mais vítimas! Uma tragédia”, conta-nos a CUVI.

Os utentes mostram-se revoltados e lembram que “António Costa, reconhecendo que a EN125 é um cemitério, prometeu acabar com as portagens no Algarve – mas ainda não cumpriu a palavra dada! E palavra dada deve ser palavra honrada! E perante tal situação bem negra, não se compreende que PS, PSD e CDS inviabilizem, sucessivamente, todas as propostas apresentadas na Assembleia da República para a abolição das portagens na Via do Infante. A não ser que governo e estes três partidos estejam «atolados» nos interesses obscuros da PPP da Via do Infante”.

É de referir que a Comissão de Utentes da Via do Infante pretende alargar o seu âmbito e está aberta à integração de todos aqueles que queiram participar nas ações de luta pela abolição das portagens no Algarve. Uma luta abrangente, forte e determinada é o que se impõe.

Várias ações irão ocorrer por todo o Algarve nos próximos meses até às eleições legislativas de outubro de 2019. Serão ações de mobilização (algumas de surpresa) nas várias cidades e vilas da região, na EN125 e na Via do Infante. Estas ações dirigidas a toda a gente terão como lema: “Veste o colete amarelo e protesta!”

Também será lançada uma nova petição dirigida à Assembleia da República pela abolição das portagens no Algarve. Serão igualmente pedidas audiências ao Primeiro-Ministro e ao Presidente da República.


Publicidade
Partilhar

1 comentário

  1. Desde que os “Algarves” – foram conquistado aos mouros nunca deixaram de ser uma colónia de Portugal. Ostracizados e, sempre explorado em prejuízo dos algarvios!…
    Talvez tudo se resolva com uma revolta geral e, exigida a sua Independência!!!

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.