Mulheres lançaram sementes do empreendedorismo transfronteiriço

0
80
As participantes encontraram-se na raia, vindas do Algarve e Andaluzia. Houve muitos contactos que se cruzaram e potenciaram parcerias e negócios

O passado dia 10 de Março ficou marcado por uma jornada intensa dedicada à mulher e o seu papel na sociedade. Este ano a terceira edição do evento «Empreender no Feminino» aconteceu sob o tema«Da fábrica ao Digital» e mostrou-se um dia repleto de dinâmicas e e manifestação de vontades e competências das mulheres. Foram mais de 70 as mulheres que ao longo do passado sábado marcaram presença e que partilharam experiências e histórias de vida, com o objetivo de otimizar negócios, projetos e dar asas a sonhos.

A Indústria Conserveira em VRSA e Ayamonte foi o mote para a abordagem do Ano Europeu do Património Cultural. Uma dinâmica que aconteceu através de uma visita ao Arquivo Histórico Municipal António Rosa Mendes, guiadas pela técnica Alexandra Barão Cordeiro, e uma tertúlia que contou com a participação da presidente da câmara municipal de VRSA, o técnico de património e Turismo João Miguel Pereira daquele município, Ernst-Otto Schreinert da Confraria do Atum, três senhoras antigas manipuladoras de pescado na Indústria Conserveira e Juan Concepción das Conservas Concepción.

“Não sou feminista, defendo a igualdade de direitos entre os seres humanos”, declarou logo ao início da tertúlia Conceição Cabrita que sublinhou alguns dados que dão conta da desigualdade que discrimina as mulheres em muitas situações laborais. Sendo atualmente presidente de diversas estruturas para além do município – como é o caso da Eurocidade do Guadiana e Odiana – a edil vilarealense garante que não se sente discriminada, mas também não gosta particularmente quando é comparada a um homem por tomar determinadas decisões e atitudes de chefia. “Ainda há essa mentalidade entre nós”, testemunha.

Abordando o tópico do património cultural  a autarca defendeu que é importante “preservarmos o passado para identificarmos o presente e desenhar o futuro, sem esquecer as raízes nem as potencialidades dos lugares não só por uma questão social e cultural, mas também económica”.

Ladeada pelo membro da direção da Confraria do Atum, viu as suas palavras e ambições reiteradas por aquele representante desta associação que em uma década tem dedicado a sua existência a manter viva a memória do atum em VRSA e além-fronteiras, promovendo a sua valorização e estimulando a sua atividade económica.

Vindo do outro lado do Guadiana, Juan Concepción, que também patrocinou o almoço deste dia, partilhou da importância “essencial e determinante” da mão-de-obra feminina numa empresa fundada por mulheres há quase 150 anos. De referir que foi a tetravó de Juan C. que criou a empresa que hoje é a maior do setor na Junta da Andaluzia.

O papel determinante das mulheres na Indústria Conserveira foi relatado por João Pereira que lembrou muitas realidades de outros tempos em que VRSA era uma capital das conservas que economicamente potenciaram uma vila pombalina com dinâmicas económicas e sociais diferentes dos dias de hoje. Foram três os testemunhos na primeira pessoa que emocionaram a assistência de uma tertúlia onde as emoções e afetos estiveram à flor da pele. Atualmente utentes da Casa do Avô de Vila Real de Santo António, estas senhoras prontamente acederam a participar nesta tertúlia e contaram as suas histórias de vida e sobrevivência. “Fazíamos turnos seguidos e às vezes tínhamos de roubar para dar de comer aos filhos”, lembraram Maria Vicente, Maria Madalena e Elisabete. Mulheres de uma força e humildade que elevam a imagem da mulher que outros tempos enchia as fábricas de conservas.

Worshops, palestras e almoço confeccionado pelas alunas da Escola do Turismo de Portugal de VRSA

O dia contou com diversos momentos. Desde logo um atelier de tecelagem com o projeto Tecelã, de Ana Cristina e Liliana Bonança. Depois um menú de excelência com base nas conservas confeccionado pelas formandas da Escola de VRSA do Turismo de Portugal fizeram as delícias do almoço.

Da parte da tarde Inês Boski, fundadora e diretora da Webmill, educou-nos para o conceito de Hackathon: trata-se de uma maratona de programação neste caso com o fim específico de combater o flagelo dos fogos florestais. Bella Carballho, presidente da Associação de Mulheres Empresárias de Huelva falou-nos da literacia digital em Espanha e Margarida Vargues, blogger «Pano P’ra Mangas» focou-nos nas potencialidades de plataformas sociais quando bem utilizadas e bem aproveitadas. Houve ainda espaço para o «Flash Notícias da UE», pelo Centro Europe Direct Algarve e o dia terminou com uma dinâmica de criação de ideia de negócio promovido pela Algarve Women Business’s Network. Este último exercício está publicado no espaço Rede de Mulheres/Mujeres Portugal e Espanha.

Ao longo do dia foram várias as expositoras de um lado e outro da fronteira que estiveram com os seus produtos e projetos junto das dezenas de mulheres nesta terceira edição de «Empreender no Feminino». A partilha, o network e a troca de contatos é determinante neste tipo de encontros que pretende potencial o empreendedorismo feminino.

O Jornal do Baixo Guadiana, sendo membro da organização deste evento, pode testemunhar que muitas foram as trocas de contactos entre as mulheres, bem como se gearam no local potenciais negócios.

Exposições «Platibandas do Algarve» e «Perspetivas» acompanham celebração do Ano Europeu do Património

De modo a aumentar o espectro de valorização do Património do Algarve, em Ano Europeu do Património Cultural, o evento deixou patente na Escola Hoteleira de VRSA a excelente exposição do fotógrafo Filipe da Palma dedicada às platibandas e aqruitetura do Algarve. E do outro lado da fronteira e através da mesma organização está assegurada de 21 de Março a 4 de Abril a arrojada exposição internacional «Perspetivas» da Fungo Azul na Casa Grande, em Ayamonte.

Causa Social: Donativos para o Refeitório Social de Ayamonte

Tal como nas edições anteriores este evento associou-se a uma causa social. Este ano os participantes foram convidados a fazer donativos para o Refeitório Social de Ayamonte, em Espanha. Para além de géneros alimentares foram cedidos 60 euros para esta causa.

De referir que este evento foi uma organização em parceria pela Algarve Women Business Network, o Centro Europe Direct do Algarve, o Jornal do Baixo Guadiana, a Eurocidade do Guadiana e a Associação de Mulheres Empresárias de Huelva. Contou com o apoio da Escola de VRSA do Turismo de Portugal, Diputacion de Huelva, Gabinete em Portugal do Parlamento Europeu e patrocínio das Conservas Concepción e Supermercados Corvo.

Aqui ficam várias imagens do encontro (pode encontrar mais aqui)

 

 

 

Publicidade

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.