Risco da Muralha do Forte de Cacela Velha motiva reunião urgente

1
382
Fotografia retirada de facebook_Patrícia Leal. A imagem revela-nos uma muralha em situação de abismo

A notícia foi avançada há poucos minutos pelo gabinete de comunicação da câmara municipal de Vila Real de Santo António que garantiu que solicitou uma “reunião urgente à Agência Portuguesa do Ambiente (APA) para avaliar o efeito das marés junto à muralha do forte”. A presidente da edilidade, Conceição Cabrita, e o Capitão do Porto de VRSA, Pedro Palma, visitaram os locais da faixa costeira do concelho mais afetados pela tempestade que, na última semana, atingiu o litoral algarvio.

Entretanto, reuniram-se com a Direção-Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM) para avaliar os efeitos da tempestade «Ema» no molhe da barra do Rio Guadiana, em VRSA, tendo ficado acertada a sua reconstrução por parte da DGRM, durante as próximas semanas.

Além da avaliação ao estado de conservação do pontão de VRSA, durante a visita de reconhecimento à faixa litoral foi averiguado o impacto das intempéries sob o passadiço de Monte Gordo e sob a barra de Cacela Velha, avança a edilidade pombalina em comunicado.

«Processo de requalificação não foi afetado»

De acordo com Conceição Cabrita, “não há pessoas ou bens em risco, nomeadamente no passadiço de Monte Gordo, onde a ação das marés não afetou qualquer estrutura da praia, nem o processo de requalificação em curso na frente-mar”. A presidente da câmara disse também que neste momento estão a ser acompanhados “os efeitos do avanço do mar junto à barra de Cacela Velha”, sendo que  pela observação feita “não há situações de perigo iminente”.

Capitão do porto garante próximo Verão “com segurança e sem impactos para o turismo”

De acordo com o capitão do porto de VRSA, Pedro Palma, “constata-se que houve uma deriva de areias ao longo de toda a costa. Porém, e uma vez que ainda estamos distantes do início da época balnear, a natureza irá encarregar-se de repor as areias, permitindo que o próximo Verão decorra com segurança e sem impactos para o turismo”.

Executivo municipal e capitão do porto esta quarta-feira em visita de reconhecimento às zonas afetadas
Publicidade
Partilhar
Susana Helena De Sousa
Formação Superior em Jornalismo (Carteira Profissional 9621): Especialização em Imprensa Escrita pelo Centro Nacional de Formação de Jornalistas (CENJOR) Formação media pela Representação da Comissão Europeia em Portugal Experiência em Jornalismo: Rádio (Voz D'Almada, PAL FM, Guadiana FM), Televisão (TVI, AXN, RTP, Canal História) e Imprensa Escrita (Jornal de Setúbal, Semanário O Algarve, Jornal i, Jornal do Baixo Guadiana); Tese de Licenciatura Bi-Etápica: «Serviço Público de Televisão», (publicação com entrevista a Carlos Pinto Coelho) Co-produção, realização e apresentação do programa de Rádio «Se Dúvidas Existem...», do Núcleo de Estudos e Intervenção Psicolõgica de VRSA Co-produção, realização e apresentação do programa «Viver Aqui», do Núcleo de Imigração da Cruz Vermelha Portuguesa de VRSA para o Alto Comissariado para o Diálogo Intercultural Assistente de Realização para Televisão Produtora para Televisão Escrita para Reportagens Televisivas Escrita de Documentário para TV «O Contrabando no Baixo Guadiana» Escrita do texto filme documental «Um Dia na Santa Casa», de Eduardo Soares Pinto Formação Avançada em Dança Contemporânea (CIRL) Formação Inicial em Teatro (TAS, Teatro O Elefante) Formação Inicial Interpretação para Televisão (Aloysio Filho pela ACT) Participação em antologia poética «5.50» (Poetas do Guadiana) Escrita de prefácio para obra editada (Os Poetas do Guadiana nos meios de comunicação social) e outra obra inédita Autora convidada do livro de contos «Ruas» de Pedro Oliveira Tavares e João Miguel Pereira Revisão de Livro de Contos inédito de Mouji Soares Curandoria de exposição de fotografia de Eduardo Soares Pinto, Espanha Co-organização da exposição internacional de arte «Minha Fukushima» na Eurocidade do Guadiana, da Peace and Art Society Organização da Exposição «Aline´s Project» em VRSA, da Peace and Art Society Apresentação de Galas Moderação de Debates e Tertúlias Apresentação de Livros Organização de eventos Co-fundadora do Eco&Design Hotel «Monte do Malhão» Co-fundadora da Mostra Internacional de Cinema «FRONTEIRAS» Voluntariado para a área da comunicação em IPSS's

1 comentário

  1. É quem têm ainda viveiros em Cacela velha e que paga impostos desses mesmos viveiros precisa deles para poder trabalhar na época balnear e que está vendo tudo a ser destruído e nada fazem e só se preocupam é com o turismo .
    Qualquer restaurante do Algarve comercializa com MARISCO ,80% desse mesmo sai da ria formosa que começa em Cacela velha e acaba para lá de Faro .
    Obrigado.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.