Confraria do Atum leva a cabo V Capítulo com Entronização

0
229
António Cabrita, Presidente da Cooperativa do Atum de VRSA avança com projetos futuros

A Confraria do Atum de Vila Real de Santo António vai levar a cabo a realização do V Capítulo com entronização. Um dos momentos altos deste encontro entres confrades e verdadeiros amantes do atum vai ser a entronização de novos confrades que representam também um crescendo da Confraria e concretização do objetivo a que se propõe.

“Este ano entre os novos confrades vão estar os dois agrupamentos de escola de Vila Real de Santo António”, explica-nos António Cabrita, presidente da Confraria, salientando que “é fundamental estarmos perto das instituições de ensino, promovendo a importância histórica e económica do atum”.

Presidente desta confraria desde há três anos a esta parte, sendo também um dos sócios-fundadores, António Cabrita louva todo o trabalho realizado há cerca de uma década por esta confraria, apesar das dificuldades inerentes, e assume um autêntico compromisso em levar mais longe a história do Atum e da Indústria Conserveira que marcou gerações e continua a ser basilar quando resgatamos as origens de muitos fenómenos sociais e económicos desta terra de fronteira.

“São muitas as recordações de outros tempos em que Vila Real de Santo António era central na temática do atum”, um produto nobre que alimentou famílias e enriqueceu empresários. António Cabrita recorda nomes de outros tempos que protagonizaram num tempo áureo da indústria conserveira. E, inevitavelmente, chama à memória o saudoso Dâmaso do Nascimento; o último a inovar em Vila Real de Santo António rebuscando o «presunto do mar» e que dele fez negócio, tendo sido reconhecido pela inovação e sentido de oportunidade. “Mas era também ele que ronqueava os atuns e mostrava essa técnica em eventos onde a Confraria se dava a conhecer”, acrescenta António Cabrita.

A importância dos Capítulos do Atum

Os capítulos do atum vivem de tudo isto: preservação da história, valorização do produto, captação de novos amantes do atum e tudo o que representa ou pode ainda vir a representar sempre numa lógica de confraternização. Este ano vai acontecer no sábado, 3 de Março, e vai contar com diversos momentos, sendo este ano especial a inauguração da sede. “Faz-nos falta ter um lugar onde todos os membros da direção possam reunir e trabalhar. É mais um passo na nossa história”, confere o presidente desta Confraria. Um desfile no Centro Histórico Pombalino e a cerimónia de entronização no Centro Cultural António Aleixo fazem parte também de um programa de um dia que contará com a presença de representantes de outras confrarias de norte a sul do país. “É muito importante mantermos as boas relações com as outras confrarias existentes em Portugal porque aprendemos muito com as suas atividades”, explica António Cabrita que com a equipa que lidera tem cimentado relações com as mais diversas confrarias nacionais.

Atum como ponto de cooperação transfronteiriça

Um dos grandes objetivos da atual direção da Confraria do Atum passa por alargar o âmbito da Confraria do Atum à Eurocidade do Guadiana. “Sabemos que aqui ao lado existe uma história e uma atividade que nos enriquecem se trabalharmos os nossos objetivos em cooperação, assim como acreditamos que podemos contribuir para a valorização do património que une os dois povos”. António Cabrita garante ao nosso jornal que, de resto, as relações com o outro lado da fronteira “estão muito boas”, sendo um dos convidados do V Capítulo o presidente da Associação dos Amigos do Atum e Amantes del Vino de Isla Cristina, com quem, aliás, a Confraria do Atum estabeleceu um acordo de cooperação a vigorar desde 2017.

Livro de receitas de Atum pode ser realidade 

Entretanto, a Confraria do Atum tem como projeto a criação de um livro de receitas de atum “de modo fazer uma recolha que seja acessível a todas as pessoas e constitua uma ferramenta útil”. Com eventos marcantes nos seus 10 anos de existência, passando inclusivamente por uma estupeta gigante que pretendeu chamar a atenção de uma forma mais mediática, a Confraria do Atum pretende fazer com que a História e o potencial do atum para a economia vilarealense não esmoreçam, pelo contrário, ganhem espaço e importância. Para tal os encontros mensais [outros dos momentos do calendário da Confraria] mostram-se “determinantes, tendo ganho cada vez mais e bons adeptos, demonstrando que são uma mais-valia na valorização do produto”. Acontecem ao longo do ano em restaurantes locais onde o atum é valorizado nas respetivas cozinhas.

Publicidade
Partilhar
Susana Helena De Sousa
Formação Superior em Jornalismo (Carteira Profissional 9621): Especialização em Imprensa Escrita pelo Centro Nacional de Formação de Jornalistas (CENJOR) Formação media pela Representação da Comissão Europeia em Portugal Experiência em Jornalismo: Rádio (Voz D'Almada, PAL FM, Guadiana FM), Televisão (TVI, AXN, RTP, Canal História) e Imprensa Escrita (Jornal de Setúbal, Semanário O Algarve, Jornal i, Jornal do Baixo Guadiana); Tese de Licenciatura Bi-Etápica: «Serviço Público de Televisão», (publicação com entrevista a Carlos Pinto Coelho) Co-produção, realização e apresentação do programa de Rádio «Se Dúvidas Existem...», do Núcleo de Estudos e Intervenção Psicolõgica de VRSA Co-produção, realização e apresentação do programa «Viver Aqui», do Núcleo de Imigração da Cruz Vermelha Portuguesa de VRSA para o Alto Comissariado para o Diálogo Intercultural Assistente de Realização para Televisão Produtora para Televisão Escrita para Reportagens Televisivas Escrita de Documentário para TV «O Contrabando no Baixo Guadiana» Escrita do texto filme documental «Um Dia na Santa Casa», de Eduardo Soares Pinto Formação Avançada em Dança Contemporânea (CIRL) Formação Inicial em Teatro (TAS, Teatro O Elefante) Formação Inicial Interpretação para Televisão (Aloysio Filho pela ACT) Participação em antologia poética «5.50» (Poetas do Guadiana) Escrita de prefácio para obra editada (Os Poetas do Guadiana nos meios de comunicação social) e outra obra inédita Autora convidada do livro de contos «Ruas» de Pedro Oliveira Tavares e João Miguel Pereira Revisão de Livro de Contos inédito de Mouji Soares Curandoria de exposição de fotografia de Eduardo Soares Pinto, Espanha Co-organização da exposição internacional de arte «Minha Fukushima» na Eurocidade do Guadiana, da Peace and Art Society Organização da Exposição «Aline´s Project» em VRSA, da Peace and Art Society Apresentação de Galas Moderação de Debates e Tertúlias Apresentação de Livros Organização de eventos Co-fundadora do Eco&Design Hotel «Monte do Malhão» Co-fundadora da Mostra Internacional de Cinema «FRONTEIRAS» Voluntariado para a área da comunicação em IPSS's

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.