Jornadas de História de Vila Real de Santo António marcam panorama cultural

0
81
Imagem de visita guiada em Ayamonte com Historiador Enrique Arroyo

Fez hoje, precisamente, uma semana que a tarde era passada em Ayamonte e guiada pelo historiador Enrique Arroyo Berrones que nos levou até Ayamonte, num percuso pelas ruas onde o património cultural está à vista ou mais resguardado dentre portas de igrejas, tendo terminado a vista na conhecida Casa dos Marqueses de Ayamonte, atualmente residência da família de pintores Aguilera. Uma viagem em terras espanholas com a proposta de dar continuidade à comunicação do historiador Enrique Arroyo Berrones  que na parte da manhã no Arquivo Histórico Municipal nos falou sobre «El Bajo Guadiana durante el período 1580 – 1640». Foi um passeio que nos lembrou património, nomeadamente eclesiástico, mas que nos dias de hoje marca uma tradição religiosa forte e que é manifestada de forma intensa na Semana Santa de Ayamonte. Descobrimos os templos, mas também as ruas, o património e as práticas de outros e deste tempos.

Casa dos Marqueses é residência atual de reconhecida família de artistas

Descobrimos a conhecida «Casa dos Marqueses» de Ayamonte, a sua história, sendo atualmente residência oficial da família Aguilera, pintores reconhecidíssimos. É de referir que Florêncio Aguilera foi o impulsionador do Festival de Música de Ayamonte, sendo, inclusivamente, a sua casa, ou seja, a «Casa dos Marqueses» palco para o evento que tem lugar anualmente em Agosto. A família Aguilera tem três gerações de pintores: Rafael, Florêncio e Chencho. A visita ao interior da casa e ao jardim permitiu-nos entrar numa história com um acolhimento em ambiente repleto de arte e alma.

É de salientar que o historiador Enrique Barroyo mostrou-nos, através de um passeio onde o clima contribuiu para a boa memória, uma Ayamonte hoje  distinta de outra. Lembrou-nos que por ali, noutros séculos, houve uma vida agrícola e que desta se fez transição para uma condição de subsistência virada para o mar e para o rio Guadiana. Pelas ruas ainda existe património que nos testemunha outros tempos e que ao longo dos anos tem sido identificada, nomeadamente graças ao trabalho de Enrique B. que enquanto coordenador das Jornadas de História de Ayamonte fez questão, com recurso a azulejos, deixar escrito nas paredes das ruas a história dos lugares.

Fernando Pessanha desvenda a importância do Conde de Alcoutim

Na mesma manhã da sexta-feira passada, 26 de janeiro, o historiador Fernando Pessanha inaugurou esta quinta edição das Jornadas de História do Baixo Guadiana, dando-nos a conhecer o 1.º Conde de Alcoutim: D. Fernando de Menezes. Descobrimos com o historiador vilarealense que aquela figura da nossa história com um percurso distinto acabou por ser agraciado como Conde pelas suas ações em África e obteve o título de Conde por mérito, acabando, assim, por ser o primeiro detentor de um título nobiliárquico no Algarve – pois o Conde de Loulé era-o, mas em troca de favores e não propriamente por mérito, como nos apercebemos pela comunicação de Fernando Pessanha.

Um Conde com visão Humanista

Ora, estávamos no século XV e Fernando de Menezes mostrava-se um pré-humanista. “Era um homem que gostava de ler e tinha grande preocupação com a cultura”, contou-nos Fernando Pessanha sobre aquele Conde que chegou a ser descrito como alguém que «tinha uma mão na pluma e outra na espada».

De referir que em Alcoutim temos bem centralizada a «Casa dos Condes», onde atualmente funciona a Biblioteca Municipal de Alcoutim, espaço de literatura e outras artes.

V Jornadas de História do Baixo Guadiana continuam em Março e Maio

Sem dúvida que descobrimos a nossa história e podermos percorrê-la, quer através de comunicações, bem como fisicamente pelas ruas e património edificado, é um investimento feito pelas Jornadas de História do Baixo Guadiana que vão já na V Edição. As próximas sessões das jornadas estão agendadas para os dias 9 de Março e 18 de Maio. A participação é gratuita, mas sujeita a inscrição prévia através do email arquivomunicipal@cm-vrsa.pt

As Jornadas de História do Baixo Guadiana são organizadas pelo Arquivo Histórico Municipal António Rosa Mendes / Câmara Municipal de Vila Real de Santo António contam, entre outros oradores, com a colaboração de historiadores, docentes universitários, técnicos do património, entre outros. Estão inseridas na programação cultural da Eurocidade do Guadiana, projecto que envolve os municípios de VRSA, Castro Marim e Ayamonte (Espanha) e tem como missão a partilha cultural na fronteira do Guadiana.

Estão inseridas na programação cultural da Eurocidade do Guadiana, projeto que envolve os municípios de VRSA, Castro Marim e Ayamonte (Espanha) e tem como missão a partilha cultural na fronteira do Guadiana.

Estão inseridas na programação cultural da Eurocidade do Guadiana, projeto que envolve os municípios de VRSA, Castro Marim e Ayamonte (Espanha) e tem como missão a partilha cultural na fronteira do Guadiana

Publicidade
Partilhar
Susana Helena De Sousa
Formação Superior em Jornalismo (Carteira Profissional 9621): Especialização em Imprensa Escrita pelo Centro Nacional de Formação de Jornalistas (CENJOR) Formação media pela Representação da Comissão Europeia em Portugal Experiência em Jornalismo: Rádio (Voz D'Almada, PAL FM, Guadiana FM), Televisão (TVI, AXN, RTP, Canal História) e Imprensa Escrita (Jornal de Setúbal, Semanário O Algarve, Jornal i, Jornal do Baixo Guadiana); Tese de Licenciatura Bi-Etápica: «Serviço Público de Televisão», (publicação com entrevista a Carlos Pinto Coelho) Co-produção, realização e apresentação do programa de Rádio «Se Dúvidas Existem...», do Núcleo de Estudos e Intervenção Psicolõgica de VRSA Co-produção, realização e apresentação do programa «Viver Aqui», do Núcleo de Imigração da Cruz Vermelha Portuguesa de VRSA para o Alto Comissariado para o Diálogo Intercultural Assistente de Realização para Televisão Produtora para Televisão Escrita para Reportagens Televisivas Escrita de Documentário para TV «O Contrabando no Baixo Guadiana» Escrita do texto filme documental «Um Dia na Santa Casa», de Eduardo Soares Pinto Formação Avançada em Dança Contemporânea (CIRL) Formação Inicial em Teatro (TAS, Teatro O Elefante) Formação Inicial Interpretação para Televisão (Aloysio Filho pela ACT) Participação em antologia poética «5.50» (Poetas do Guadiana) Escrita de prefácio para obra editada (Os Poetas do Guadiana nos meios de comunicação social) e outra obra inédita Autora convidada do livro de contos «Ruas» de Pedro Oliveira Tavares e João Miguel Pereira Revisão de Livro de Contos inédito de Mouji Soares Curandoria de exposição de fotografia de Eduardo Soares Pinto, Espanha Co-organização da exposição internacional de arte «Minha Fukushima» na Eurocidade do Guadiana, da Peace and Art Society Organização da Exposição «Aline´s Project» em VRSA, da Peace and Art Society Apresentação de Galas Moderação de Debates e Tertúlias Apresentação de Livros Organização de eventos Co-fundadora do Eco&Design Hotel «Monte do Malhão» Co-fundadora da Mostra Internacional de Cinema «FRONTEIRAS» Voluntariado para a área da comunicação em IPSS's

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.