Tempo de natal, amor, paz, alegria e muita fantasia

0
65

Tempo de natal, amor, paz, alegria e muita fantasia. A mulher na limousine vestida de amarelo e com vontade de comer um «Ferrero Rocher», o Ambrósio sempre atencioso; porque é Natal e toda a gente nesta época do ano fica tipo ursinho de peluche, fofinho. O Kevin a dar um corretivo a dois bandidos no filme «Sozinho em casa» – que neste natal vamos ver pela 182ª vez… É tempo de natal, mas quem não gosta de ver dois bandidos a levar um enxerto de “porrada” e ainda para mais de um puto que é esquecido pelos pais, duas vezes!!? Se fosse em Portugal as entidades competentes retiravam logo a criança no primeiro filme e o Kevin nem chegava a ir para Nova Iorque (o que seria uma pena, é uma cidade que merece ser visitada!)

Tempo de natal, tempo da «Popota», cada vez mais elegante, mais uma vez a cantar a música do AGIR, tudo para cativar os mais novos a comprar um brinquedo. Se não for a «Popota» é a «Leopoldina» – esta a responsável pelas causas mais nobres; o que importa é vender… Para subir os vencimentos dos funcionários é que ainda não criaram uma personagem. Seria bonito ver a «Popota» a entregar cheques aos funcionários como forma de agradecimento pelo árduo trabalho que fazem durante o ano em condições miseráveis e com ordenados que dão vontade de chorar. Eu só de pensar emociono-me.

Atualmente pergunta-se a uma criança o que é o natal e responde que é a vinda do Pai Natal. Recordemos a personagem criada em meados do Século XIX, que apareceu pela primeira vez em 1920, com ar sério, criado pelo ilustrador Thomas Nast. Mais tarde, em 1931, apareceu novamente através da Coca-Cola, Haddon Sundblom inspirou-se no poema “A Visit From St. Nicholas” de Clement Clark Moore. A partir desse momento o verdadeiro espirito do natal, o nascimento de Jesus, ficou relegado para segundo plano, numa mensagem passada vezes sem conta por aqueles que ganham milhares à conta de uma sociedade cada vez mais materialista em que o mais importante é a imagem, quantos mais prendas melhor. «Tablets e Smartphones» a crianças de 5 anos, que estão em pleno processo de aprendizagem e desenvolvimento cognitivo e são inundados com coisas que nada contribuem para esse mesmo desenvolvimento, pelo contrário.

É tempo do «Natal dos hospitais» criado em 1944 pelo jornal «Diário de Notícias» e transmitido pela RTP, pela primeira vez em 1958 com a apresentação de Henrique Mendes. Sempre me fez muita confusão, num hospital estão doentes, muitos com doenças graves, precisam descansar, recuperar e não ouvir todos os anos, o «Nossa Senhora» do Marco Paulo ou «Bomba Latina» da Ana Malhoa, só para citar alguns temas, porque a lista de «pimbalhada» é extensa…

Ouve-se pela milésima vez «A todos um bom natal» do Coro Infantil Santo Amaro de Oeiras, o «Last Christmas» dos Wham, «Do they know it´s Christmas Time» de Band Aid, «All I want for Christmas is you» da Mariah Carey, o «Jingle Bells» e um sem número de músicas que são repetidas vezes sem conta, num clima de amor e paz na terra.

Fico sempre com aquela sensação de ser tudo falso, fabricado, sendo as nossas mentes  formatadas para o consumo. Somos “embalados” pelos anúncios de televisão, pelas cores, pela luz, pela magia em redor da quadra natalícia, tudo pensado ao pormenor por aqueles que de uma forma ou de outra, querem que esqueçamos o verdadeiro significado do que é, afinal, o Natal.

Publicidade
Partilhar
Eusébio Costa
Eusébio Costa, nasceu a 31 de outubro em Monte Gordo na casa da avó paterna. Aos 14 anos, influenciado pela magia da rádio, ouvinte da Rádio Renascença de então em onda média, ouvindo relatos de futebol e programas como os “Parodiantes de Lisboa”, ingressou na Rádio Glória em 1984, só terminando essa atividade em 2012, foi técnico superior de comunicação na Junta de Freguesia de Vila Real de Santo António e foi colaborador do Jornal «O Jogo», «Jornal do Algarve» e «Jornal do Baixo Guadiana». Em 2011 decidiu terminar os estudos e licenciou-se em Ciências da Comunicação na Escola Superior de Educação e Comunicação da Universidade do Algarve, com média de 16 valores.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.