Alunos de Castro Marim empenhados em ajudar as crianças do Níger

0
59
Um bem essencial - a água - escasseia, e muito, no Níger.

Os alunos do 7.º A do Agrupamento de Escolas de Castro Marim estão empenhados em contribuir para modificar a realidade das crianças no Níger que vivem um grave problema de acesso à água. Ao longo de dois anos vão levar a cabo diversas ações para conseguir angariar o máximo possível de verba que, por seu lado, vai sendo transferida, tendo como destino o Níger, na África Ocidental. O grande objetivo é ajudar à construção de poços para que a população tenha acesso a um bem que é tão essencial à vida, a água, e que as crianças possam regressar à escola como têm direito.

“Esta ideia surgiu dentro do projeto «Europa, Migration and Citizenship» que está a ser executado naquele agrupamento no âmbito do programa europeu «Erasmus +”, começa por nos explicar Rita Calejo Pires, uma das docentes a coordenar neste propósito solidário, e que com os jovens do 7.º A começou por criar apetitosos e elegantes sacos de bolachas para vender como forma de conseguir os primeiros contributos.

“A possibilidade de ajudarmos este povo que passa por sérias dificuldades de falta de água, e cujas crianças estão impossibilitadas de ir à escola porque os seus dias passam-no em longos percursos para transportar água e dar de beber aos animais, tornou-se possível num contacto com uma das responsáveis da Assofrani, uma associação que está a trabalhar a nível internacional para conseguir mudar a realidade do Níger”. E Rita Calejo Pires testemunha-nos que a turma “aderiu de imediato e com um entusiasmo enorme” ao desafio.

 

Dar acesso à água e à formação

Assim, ligado ao propósito de contribuir para o acesso a um bem essencial estes solidários jovens de Castro Marim querem facilitar, o mais rápido possível, que os meninos e meninas do Níger possam regressar às escolas, já que uma das muitas e graves consequências da falta de à água é a abstenção escolar forçada “uma vez que enquanto os rapazes levam o gado até onde há água as raparigas caminham todos os dias muitos quilómetros para ir buscar água para as famílias”, ficando a escola para segundo plano, sublinham alunos e professora com um brilhozinho nos olhos. E se por um lado este brilhozinho nos olhos denuncia um aperto de coração por outro evidencia a alegria de tentarem contribuir para modificar a realidade deste povo vizinho que precisa de ajuda de todos os habitantes da «Aldeia Global».

Alunos arregaçaram as mangas e desvendaram os segredos da doçaria

Por essa razão, têm sido dias intensos de doçaria que resultam agora na primeira forma de solidariedade que vai andar, literalmente, na boca da comunidade escolar e não só, em Castro Marim. Reunidos à volta do resultado final desta primeira experiência – que é como quem diz: dos criativos pacotes de bolachas – os alunos confessaram ao nosso jornal que esta oportunidade solidária mudou a forma como passaram a olhar para o mundo.

«Erasmus +» e a importância do intercâmbio

De referir que o programa «Erasmus +» [gerido em Portugal pela Agência Nacional Erasmus +] tem permitido o intercâmbio de milhares de jovens pela União Europeia. No Baixo Guadiana os agrupamentos de escolas e diversas outras entidades, como as associações juvenis são disso exemplo, têm levado a cabo inúmeros projetos que deram acesso aos jovens de cá conhecerem a cultura, os jovens, a formação e as oportunidades escolares e profissionais de outros destinos da UE, e vice-versa.

 

 

 

Publicidade

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here