Demolições erguem II fase de requalificação da praia de Monte Gordo

0
97
Primeiras demolições em Monte Gordo tiveram lugar esta quarta-feira

A maior requalificação de frente de mar está a decorrer na praia de Monte Gordo, concelho de Vila Real de Santo António. Sebastião Braz Teixeira da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) recorda que “a primeira grande requalificação do género aconteceu em Portimão há 10 anos atrás”, mas em Monte Gordo a extensão abrangida “é a maior de sempre na região”.

Confrontado pelo nosso jornal com as diversas contestações que têm vindo a público por parte de diversas associações ambientalistas no Algarve que traçam muitas reticências às intervenções levadas a cabo no âmbito desta requalificação, o responsável na APA garantiu ao Jornal do Baixo Guadiana, e à margem da sessão de início das demolições dos 18 apoios de praia e restaurantes, que não teve conhecimento dessas contestações, não deixando de responder, no entanto, que o que está a ser feito “é uma boa prática que deve ser tida em ambientes dunares”. Sebastião B. Teixeira contextualiza, dizendo que esta requalificação consiste “em tirar a carga em alvenaria”, lamentando que exista “algo que nunca se fala e que são as fossas abaixo dos restaurantes e que estavam a ser drenados para a praia”, lembrando Sebastião B. Teixeira que “esse problema nunca foi levantado, mas tratava-se, inclusive, de um problema de saúde pública e que agora é sanado”.

Regeneração dunar levará entre 5 e 10 anos

A requalificação em curso vai “retirar as construções e passadeiras em betão que estavam sobre as dunas e levará à construção de estruturas sobrelevadas em estacaria em madeira de modo a que haja circulação de vento e areia”, de modo a que “as dunas regenerem naturalmente”. Aos jornalistas este responsável da APA adiantou que a regeneração total das dunas levará entre 5 a 10 anos a ser uma realidade. “Para mim, trata-se da terceira fase de requalificação e que está, assim, a cargo da mãe-natureza”, disse Sebastião B. Ferreira, por sua vez, em declarações ao nosso jornal.

De referir que depois de Monte Gordo apenas 5% do Algarve fica por requalificar, mais especificamente a zona do Garrão, tal como explicou ao Jornal do Baixo Guadiana Sebastião B. Teixeira, da APA.

Demolições erguem II fase de requalificação da praia de Monte Gordo 

Monte Gordo acordou esta manhã de quarta-feira, 15 de Novembro, com as demolições dos 18 apoios de praia e restaurantes que corresponde à segunda fase de requalificação da frente de mar daquela praia. “As demolições serão suportadas pelo município e estarão concluídas até ao final de dezembro. Já a construção dos novos apoios terá início em janeiro de 2018, devendo prolongar-se por um prazo de 5 meses”, explica o município liderado por São Cabrita. No total esta requalificação está orçamentada em 10 milhões de euros.

“O objetivo é termos a praia cem por cento funcional no próximo mês de maio, pronta para a próxima época balnear. Orgulho-me de poder dizer que esta é a maior operação de requalificação urbanística e ambiental jamais levada a cabo no nosso concelho”. Conceição Cabrita recordou, ainda, que “o Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC), inicialmente aprovado, apenas previa a construção de 8 apoios de praia mas, através da sua revisão e do conjunto de reuniões desenvolvidas entre a Câmara Municipal e a APA, foi possível a instalação de 18 unidades».

De referir que os empresários que detinham atividade na praia e possuíam a sua situação regularizada não necessitaram de submeter-se a concurso, pondo-se fim ao sistema de licenças precárias que vigorava até ao momento.

“Prezamos por um desenvolvimento económico-turístico aliado a boas práticas ambientais”, sublinhou, ainda, ao nosso jornal a edil vilarealense, Conceição Cabrita que anunciou aos jornalistas que “esta obra tem já o visto do tribunal de contas”.

Mais e melhor praia, garante comandante do Porto de Vila Real de Santo António

A Marinha Portuguesa foi uma das três entidades, a par do município pombalino e APA, a trabalhar ao longo dos últimos quatro anos no processo de projeto requalificação da praia de Monte Gordo. Pedro Palma, comandante do porto de Vila Real de Santo António, afirmou ao Jornal do Baixo Guadiana que na próxima época balnear “teremos uma praia que manterá os parâmetros de segurança [confirmando que estes nunca foram postos em causa em momento algum desta requalificação], mas que verá melhorada a qualidade sanitária, de restauração e acesso à praia”. O comandante referiu que esta requalificação foi feita com muito diálogo e que Monte Gordo “será mais uma praia de referência no que diz respeito à mobilidade”, referindo, igualmente que “o passadiço construído terá uma ligação directa ao parque de estacionamento”.

A requalificação da praia de Monte Gordo em números*:

  • 3000 metros de passadiço sobrelevado
  • 18 novos restaurantes / apoios de praia
  • Investimento no passadiço: 1 milhão de euros
  • Investimento global: 10 milhões de euros

*fonte: município de VRSA

 

Antevisão dos apoios de praia de Monte Gordo
Antevisão dos apoios de praia de Monte Gordo
(Esqu.ª para D.ta): Capitão do Porto de VRSA, Responsável da APA, Presidente da Junta de Freguesia de Monte Gordo, Presidente da Câmara Municipal de VRSA
Publicidade
Partilhar

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here