Refood chegou a VRSA para acabar com o desperdício alimentar

0
48

Vila Real de Santo António recebe, na próxima sexta-feira, dia 3 de novembro, pelas 21h00, na Biblioteca Municipal Vicente Campinas, a apresentação do projeto Refood.

A iniciativa pretende acabar com o desperdício dos alimentos preparados e com a fome nos bairros urbanos reforçando os laços comunitários locais.

Para tal, é feito o reaproveitamento dos desperdícios alimentares preparados, através da recolha de comida em restaurantes, padarias, cafés, pastelarias, hotéis, etc. e a sua distribuição por famílias carenciadas.

A apresentação pública do projeto em Vila Real de Santo António contará com a presença do seu mentor, Hunter Halder, e visa lançar as bases para a criação de um núcleo desta organização independente, sem fins lucrativos, no concelho, baseado 100% em trabalho de voluntariado.

Eliminar o desperdício de alimentos e a fome, envolvendo toda a comunidade numa causa comum é a missão da Refood, que aspira a um mundo novo onde todos têm a comida de que necessitam e em que se reduz significativamente a quantidade de resíduos produzidos nas cidades.
Um estudo e reflexão sobre desperdício alimentar, levado a cabo pelo Centro de Estudos de Sociologia da Universidade Nova de Lisboa, apurou que, em Portugal, há um desperdício de um milhão de toneladas de alimentos por ano.

Portugal tem 25 núcleos Refood

O projeto Refood foi lançado em Lisboa, a 9 de março de 2011, por Hunter Halder, que começou a recolher a comida e a entregá-la a quem precisava, montado numa bicicleta. No primeiro ano, o movimento, ainda embrionário, recebeu o «Prémio de Voluntariado Jovem Montepio».

Após 5 anos, existem em Portugal 25 núcleos Refood, onde mais de 4.000 voluntários resgatam 46.000 refeições por mês, a partir de 900 parceiros de fontes de alimentos, e servem 2.500 beneficiários, tendo a organização crescido de forma exponencial.

Publicidade
Partilhar

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.