Diretor Geral da Autoridade Marítima visitou o Baixo Guadiana

0
315
Almirante Luís de Sousa Pereira fez-se acompanhar pelo Comandante do porto de VRSA e do Comandante Regional da Polícia Marítima

O rio Guadiana foi palco de mais uma ação de fiscalização e patrulha por parte da Polícia Marítima, mas desta vez contou com a presença do Diretor Geral de Autoridade Marítima que acumula o cargo de Comandante-geral da Polícia Marítima. O Jornal do Baixo Guadiana seguiu também na lancha da patrulha, bem como antes acompanhou a visita feita no mesmo dia pelo Almirante Luís de Sousa Pereira a diversas instalações existentes no Baixo Guadiana sob a tutela do Ministério da Defesa.

A visita por parte deste responsável aconteceu em plena época do ano em que o turismo no Algarve está na sua maior expressão e por isso mesmo houve lugar, antes de mais, para uma reunião com o Comandante do porto de Vila Real de Santo António, Pedro Palma, bem como uma visita ao emblemático Farol e às instalações do Instituto de Socorros a Náufragos em terras pombalinas.

Sistema «Costa Segura» conta já com 4 meses em VRSA

Na capitania do porto de Vila Real de Santo António o Almirante Sousa Pereira explicou em exclusivo ao nosso jornal a importância do projeto «Costa Segura» implementado em VRSA no passado mês de Abril. “Trata-se de um sistema inovador  com câmaras de visão diurna e noturna, radares e alarmes que permitem agora ao capitão do porto ter uma visualização em tempo real da costa”. O Almirante Sousa Pereira recordou que este sistema “leva à maior eficácia de atuação e de gestão de recursos na costa”. Tratando-se o Guadiana de um rio internacional o Director Geral da Autoridade Marítima referiu que as relações com as autoridades homólogas do outro lado do Grande Rio do Sul “são as melhores”, havendo “grande cooperação transfronteiriça” também no que toca à esfera marítima.

De referir que o principal objetivo deste sistema é “alertar para situações de necessidade de salvamento marítimo, garantir a segurança da navegação, bem serve o combate à poluição e às atividades ilegais”. A Direção de Faróis está encarregue de implementar e desenvolver o sistema, enquanto a Marinha, através das diferentes capitanias, é responsável pelo apoio técnico. Por sua vez, já foi tornado público que o Ministério da Defesa pretende ter em 2018 a cobertura total da costa nacional, incluindo Açores e Madeira.

Costa Segura “também depende de todos nós”

De acordo com o Almirante Sousa Pereira “nunca é demais lembrar que  uma costa verdadeiramente segura depende de todos”, remetendo-se para o tema da época balnear que no Algarve é um exemplo paradigmático de afluência extrema até ao final deste mês de Agosto. O almirante fala numa cada vez “maior consciência cívica por parte dos utentes das nossas praias”. Este responsável sublinhou em declarações ao nosso jornal que “a segurança nas praias é o propósito maior da Autoridade Marítima cuja maior ambição é ter zero mortos nas praias”. Recorde-se que, e de acordo com as estatísticas,  as praias portuguesas têm um universo de 70 milhões de utilizadores na época balnear, fixando-se em cerca de uma dezena o número de mortos. A maior parte dos utentes faz um uso responsável das praias, mas “é preciso insistir no trabalho relevante de sensibilização feito, bem como na importante atuação dos nadadores salvadores, e até dos surfistas que têm sido de extrema importância na segurança e salvamento de banhistas”.

A Autoridade Marítima está, igualmente, cada vez mais empenhada em ir às escolas e promover uma maior cultura do mar que demonstre os benefícios e os riscos da utilização das praias. “O que tem sido feito já demonstra resultados positivos”, garantiu-nos o Almirante.

Visita ao Baixo Guadiana promoveu proximidade “importante e necessária”

No que diz respeito à visita realizada por parte da Autoridade Marítima Nacional ao Baixo Guadiana, o Almirante Sousa Pereira não tem dúvidas em classificá-la como “parte importante e necessária” da sua atuação, relevando a proximidade com os operacionais. “É notório que estas visitas denunciam problemas existentes, mas também permitem uma concertação de recursos que desbloqueiam aquilo que à partida não parecia ter uma solução à vista”.

Desta visita do Almirante Sousa Pereira é de referir que ficou garantida a melhoria das instalações do ISN em VRSA, nomeadamente no que diz respeito à requalificação exterior do edifício.  Bem como o responsável enalteceu o trabalho desenvolvido pela equipa do farol de Vila Real de Santo António, que “são pessoas que têm uma rotina muito própria já que os responsáveis por estes edifícios vivem aqui e cuidam destes lugares como sendo a sua própria casa”, rematou visivelmente satisfeito.

A visita terminou em Alcoutim onde a lancha da marinha portuguesa atracou após a subida atenta ao Grande rio do Sul.

 

Publicidade

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here