Ciclistas do Baixo Guadiana foram homenageados após brilhante Volta a Portugal

0
67
Amaro Antunes na imagem, um dos maiores desta edição da Volta (Foto: Elisabete Silva de http://voltaaociclismo.blogspot.pt)

Os ciclistas Amaro Antunes, Ricardo Mestre e Samuel Caldeira da equipa W52-FC Porto, a grande vencedora da Volta a Portugal em Bicicleta, tiveram uma receção e homenagem feita pela câmara municipal da câmara municipal de Vila Real de Santo António.

Estes algarvios do Baixo Guadiana estiveram em grande destaque na prova rainha, tendo o vilarealense Amaro Antunes garantido o primeiro lugar na geral da montanha (camisola azul) e o segundo lugar na classificação geral da volta.

E o Baixo Guadiana enche-se de orgulho destes três ciclistas de ouro da nossa terra, pois entre eles está também Ricardo Mestre que foi em 2011 o grande vencedor da Volta a Portugal em Bicicleta.

*Vizinho espanhol Raúl Alarcón vestiu camisola amarela

Perante a vasta multidão que engrandeceu, ainda mais, a Avenida da Europa, em Viseu, o espanhol Raúl Alarcón (W52-FC Porto) confirmou, esta terça-feira, 15 de Agosto, a vitória na 79ª Volta a Portugal Santander Totta. Depois de “sacudir” a concorrência na etapa rainha que atravessou a Serra da Estrela, era expectável este triunfo, ainda que na última jornada houvesse um contrarrelógio onde até conseguiu o segundo melhor registo. Sorridente, Alarcón disse no fim que o sonho tornou-se realidade. “É uma prova importantíssima e com muito prestígio, estou muito feliz por ter conseguido vencer a Volta a Portugal. Agora vou desfrutar deste triunfo e festejar com os companheiros”.
A 10ª e derradeira etapa foi ganha pelo “azul e branco” Gustavo Veloso, o mais rápido nos 20,1 quilómetros de luta contra o cronómetro realizada na cidade de Viriato. “Hoje saí para discutir o crono, dei tudo o que tinha”, disse Veloso com sabor agridoce já que, considerado à partida como um potencial vencedor, não esteve bem na decisiva penúltima etapa da edição 79 da Volta. “É assim o ciclismo. A volta não se ganha num dia mas num dia pode perder-se e eu perdi-a ontem. Em cinco anos tive um mau dia…” suspirou Veloso concordando que “foi o pior dia para ter um mau dia. Mas quando a equipa ganha, as derrotas não sabem tão mal.”
No contrarrelógio Raúl Alarcón (W52-FCPorto) gastou mais 15 segundos além dos 26 minutos de Veloso, enquanto Alejandro Marque (Sporting-Tavira) na terceira posição demorou mais 18 segundos.

A W52-FC Porto “pintou” de azul e branco a edição 79 da Volta ao acumular seis vitórias em etapas, Camisola Amarela e liderança da classificação por equipas desde o segundo dia de competição e na meta final, em Viseu, com cinco corredores nos dez primeiros classificados. “Alcançámos todos estes objetivos mas trabalhámos para isso. Tentámos fazer sempre o melhor possível e o resultado está aí” rematou o diretor desportivo Nuno Ribeiro no rescaldo da vitória magnânima da equipa do Sobrado.

Amaro Antunes sagra-se «Rei dos Trepadores» 

O portista Amaro Antunes que assumiu a liderança da Camisola Azul Liberty Seguros na véspera, subiu ao pódio final como o “Rei dos Trepadores” e classificou-se em segundo na 79ª Volta a Portugal Santander Totta ficando a 1´23´´ do Camisola Amarela.
Vicente Garcia de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) foi terceiro na geral a 5´25´´ e foi o mais regular em prova conquistando a Camisola Verde Rubis Gás, símbolo da liderança por pontos. Krists Neilands (Israel Cycling Academy), o melhor jovem em prova, foi consagrado em Viseu com a Camisola Branca RTP.

Na conferência de imprensa final, Joaquim Gomes, o diretor da Volta, fez um apelo para o regresso do Sport Lisboa e Benfica à estrada e ao ciclismo com uma equipa que possa discutir a Volta a Portugal. Abordando as especificidades do ciclismo português, muito ligado aos clubes, Gomes fez um balanço muito positivo da Volta mas acredita que estando os “três grandes” envolvidos o sucesso da prova seria ainda maior.

Rei da Volta 2017

Natural de Sax, Alicante, na Comunidad Valenciana, Raúl Alarcón estreou-se no ciclismo com 11 anos. “El Caballo”, como também é apelidado pela fisionomia entroncada que contrasta com pernas esguias, esteve durante dois anos na equipa satélite da Saunier Duval-Prodir para em 2007 iniciar-se como profissional no World Tour.
Aos 25 anos, Alarcón integrou pela primeira vez o pelotão nacional com a Efapel, na altura chamada Barbot-Efapel. O Algarve foi a paragem seguinte. Esteve dois anos no Louletano até vestir, em 2015, as cores da atual W52-FC Porto.
Esta foi a sétima participação de Raúl Alarcón na Volta a Portugal. Aos 31 anos, depois da vitória na Volta às Astúrias, alcançou o sonho de inscrever o nome na história da mais importante competição velocipédica portuguesa.

Classificações 10ª Etapa

A Global Association for Life concedeu à Podium o galardão “Loving The Planet Sustentabilidade” pela compra de 800 toneladas de CO2 eq do projeto Bosque Ensombrado – Avelar, Montalegre. Uma parte deste compromisso traduz a compensação da pegada ecológica da 79ª Volta a Portugal em bicicleta.

A próxima organização da Podium Events é a Subida à Glória, em Lisboa, que se realiza a 23 de Setembro. Daqui a alguns dias haverá mais novidades com a abertura de inscrições.

*Notícia volta-portugal.com

Publicidade

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.