Chumbado aumento de propinas na Universidade do Algarve

0
44

A Direção-Geral da Associação Académica da Universidade do Algarve comunicou esta quarta-feira que “que a proposta colocada para um aumento de propinas, respeitante ao ano letivo de 2017/18, não foi aprovada em reunião de Conselho Geral da UAlg”, que teve lugar a 11 de Julho.

 

Leia abaixo os esclarecimentos da Associação Académica:

  1. A propina devida pelos estudantes à Universidade do Algarve é definida no Conselho Geral da UAlg, sendo este órgão “máximo” da nossa Instituição. Fazem parte do Conselho Geral da UAlg 35 elementos:
    18 docentes/investigadores, 6 estudantes, 1 funcionário não-docente e 10 personalidades externas de reconhecido mérito;

 

  1. Decorreu hoje a reunião de Conselho Geral, tendo como ponto na Ordem de Trabalhos “Propinas 2017/18”, estando como proposta para a fixação da propina para o próximo ano letivo nos 995 euros (um aumento na ordem dos 25 euros), no que diz respeito às Licenciaturas, aos Mestrados Integrados e ao valor mínimo para os Mestrados, bem como um valor de 650 euros (um aumento na ordem dos 61 euros), no que diz respeito aos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (TeSP);
  2. Os 6 elementos representantes dos estudantes, cientes da responsabilidade em defender os interesses dos estudantes da UAlg, uniram-se em torno da defesa da não-aprovação da proposta de aumento de propinas. A posição dos 6 estudantes foi baseada na redação de um documento de tomada de posição, elaborado em conjunto, bem como na Moção aprovada no ano anterior em Assembleia Magna da AAUAlg (link para consulta: https://goo.gl/wDy4AV).
  3. Após a apresentação da proposta e de longa e intensa discussão pelos elementos do Conselho Geral da UAlg, a mesma não reuniu os votos favoráveis necessários à sua aprovação. Tendo em conta a não-aprovação da proposta, os valores de propina irão ser atualizados relativamente à Taxa de Inflação ((Taxa de Variação do Índice de Preços no Consumidor)

    verificada em 2016, o que corresponde a, apenas, 0,6%.

  4. A DG-AAUAlg participa ativamente no Movimento “Rumo à Propina Zero”, conjuntamente com outras Federações e Associações Académicas e de Estudantes do nosso país, defendendo a discussão alargada com as entidades governativas, legislativas e tutelares do Ensino Superior, relativamente ao financiamento do Ensino Superior em Portugal, bem com as suas Instituições, tendo em conta que Portugal é um dos países da União Europeia (UE) e da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) que mais sobrecarrega os estudantes e as suas famílias no que diz respeito às receitas orçamentais das Instituições de Ensino Superior (IES).
  5. Em 2016, um estudo online* afirma ainda que a Universidade do Algarve é a Universidade «mais acessível do país», tendo em conta os valores de propinas, alimentação e alojamento das Universidades portuguesas. (*Fonte: Comparaja.pt).
  6. Os estudantes da Universidade do Algarve e a Associação Académica da Universidade do Algarve podem congratular-se pela deliberação dos elementos do Conselho Geral. É travada assim, para o próximo ano letivo, a contínua desresponsabilização do Estado sobre a educação dos cidadãos que provocaria um aumento de custos para os estudantes da UAlg e as suas famílias, bem como os que pretendem ingressar no Ensino Universitário Público no Algarve.
Publicidade

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here