Extensão de saúde do Azinhal reabre após 4 anos fechada

0
136
População e autarcas acorreram à reabertura

Após quatro anos de encerramento a extensão do Centro de Saúde do Azinhal voltou a abrir as portas, apesar de apenas uma vez por semana ser a periodicidade com que “para já” vai funcionar. A reabertura tão ambicionada pela população, bem como pelos autarcas locais ficou assinalada pela presença do Secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, que garantiu que “mais à frente” irá voltar ao Azinhal para ver como decorre este funcionamento, bem como sublinhou que a limitação de estar a funcionar agora num regime semanal (às quartas-feiras) deverá ser ultrapassada, sem adiantar prazos, e que tal “deve-se aos constrangimentos que o país atravessa”. O governante garante que apenas está a cumprir a função de qualquer Governo, o que passa, precisamente, por devolver à população um direito básico, criticando a medida do anterior executivo liderado na altura pelo social-democrata Pedro Passos Coelho.

A população fez-se representar por dezenas de pessoas que ali acorreram para ouvir de viva voz a nota de abertura dada pelo representante do Governo, mas foi exaltado pelos autarcas locais a “injustiça” cometida pelo governantes que há quatro anos ditaram o encerramento daquela unidade. O presidente da câmara municipal de Castro Marim, Francisco Amaral, lembrou que “o encerramento desta extensão de saúde, bem como da de Odeleite, da responsabilidade do governo anterior, deixou desamparada uma população envelhecida e fragilizada, com problemas de mobilidade e dificuldade de acesso a transportes”, tendo classificado tal ato como “desumano e inexplicável”.

Também o presidente da Junta de Freguesia do Azinhal tomou da palavra, mostrando-se visivelmente satisfeito pela reabertura da extensão de saúde, mas foi bem claro que a apreensão e a desconfiança ainda é muita, deixando o recado de que espera que “as portas desta extensão não sejam encerradas de novo após as eleições autárquicas em Outubro”. O autarca lembrou que a freguesia que preside é envelhecida e que ao longo dos últimos anos “os utentes foram tratados desrespeitosamente sem qualquer cuidado nem orientação da parte do Ministério da Saúde”. Lembrou os casos de quem recorria aos serviços de saúde “e ora era mandado para Altura ora para Castro Marim sem qualquer respeito quer pela suas condições de saúde quer pela idade bem avançada da maioria”.

Recorde-se que são cerca de 400 os utentes abrangidos pela Unidade de Saúde Familiar Baesuris no Azinhal, que irá funcionar às quartas-feiras das 08h às 14h, com uma equipa de Administrativo, Enfermeiro e Médico.

De referir que este processo de luta pela reabertura desta extensão aconteceu com uma manifestação à porta da Administração Regional de Saúde (ARS), em Faro, por parte da população e autarcas. Posteriormente surgiu um acordo entre a ARS e o município de Castro Marim que culminou nas obras do edifício cuja edilidade  suportou num investimento de cerca de 30 mil euros.

“Valeu a pena esta luta e este investimento do município. Agora vamos lutar pela reabertura da extensão de Odeleite”, diz o autarca de Castro Marim.

Presidente da Câmara Municipal de Alcoutim falou de um encerramento na área da sáude que mereceu “uma grande luta da população e autarcas contra a injustiça cometida”

Vaqueiros terá condições em breve de reabrir

À margem desta cerimónia o presidente da câmara municipal de Alcoutim, o socialista Osvaldo Gonçalves, disse ao nosso jornal que a extensão de Vaqueiros, também encerrada à quatro anos, terá condições de reabrir, sensivelmente, dentro de cerca de 2 meses. “As obras arrancarão em breve”, afirmou, garantindo que as garantias do sistema informático necessário estão asseguradas. Depois, fica do lado da ARS e do Ministério da Saúde assegurar a equipa de saúde naquela extensão do concelho mais a nordeste do Algarve.

O autarca lamentou, igualmente, “toda a insensibilidade e injustiça para com os munícipes e utentes de Vaqueiros”, lembrando o envelhecimento agudo daquela população e todas as necessidades de saúde que tal fenómeno acarreta. Osvaldo Gonçalves, afirmou, ainda, que com a atual equipa da ARS “tem sido possível um diálogo e que o acordo para a reabertura se tornou possível”, o que com a anterior se mostrava muito difícil, arrastando um problema que desde o primeiro minuto foi alvo de contestação do município alcoutenejo”.

Publicidade
Partilhar
Susana Helena De Sousa
Formação Superior em Jornalismo (Carteira Profissional 9621): Especialização em Imprensa Escrita pelo Centro Nacional de Formação de Jornalistas (CENJOR) Formação media pela Representação da Comissão Europeia em Portugal Experiência em Jornalismo: Rádio (Voz D'Almada, PAL FM, Guadiana FM), Televisão (TVI, AXN, RTP, Canal História) e Imprensa Escrita (Jornal de Setúbal, Semanário O Algarve, Jornal i, Jornal do Baixo Guadiana); Tese de Licenciatura Bi-Etápica: «Serviço Público de Televisão», (publicação com entrevista a Carlos Pinto Coelho) Co-produção, realização e apresentação do programa de Rádio «Se Dúvidas Existem...», do Núcleo de Estudos e Intervenção Psicolõgica de VRSA Co-produção, realização e apresentação do programa «Viver Aqui», do Núcleo de Imigração da Cruz Vermelha Portuguesa de VRSA para o Alto Comissariado para o Diálogo Intercultural Assistente de Realização para Televisão Produtora para Televisão Escrita para Reportagens Televisivas Escrita de Documentário para TV «O Contrabando no Baixo Guadiana» Escrita do texto filme documental «Um Dia na Santa Casa», de Eduardo Soares Pinto Formação Avançada em Dança Contemporânea (CIRL) Formação Inicial em Teatro (TAS, Teatro O Elefante) Formação Inicial Interpretação para Televisão (Aloysio Filho pela ACT) Participação em antologia poética «5.50» (Poetas do Guadiana) Escrita de prefácio para obra editada (Os Poetas do Guadiana nos meios de comunicação social) e outra obra inédita Autora convidada do livro de contos «Ruas» de Pedro Oliveira Tavares e João Miguel Pereira Revisão de Livro de Contos inédito de Mouji Soares Curandoria de exposição de fotografia de Eduardo Soares Pinto, Espanha Co-organização da exposição internacional de arte «Minha Fukushima» na Eurocidade do Guadiana, da Peace and Art Society Organização da Exposição «Aline´s Project» em VRSA, da Peace and Art Society Apresentação de Galas Moderação de Debates e Tertúlias Apresentação de Livros Organização de eventos Co-fundadora do Eco&Design Hotel «Monte do Malhão» Co-fundadora da Mostra Internacional de Cinema «FRONTEIRAS» Voluntariado para a área da comunicação em IPSS's

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.