Carlos Brito aplaude medida de conversão da Cadeia do Forte de Peniche em Museu de Resistência à Ditadura

0
73
Carlos Brito, resistente anti-fascista e autor do mais recente livro «Cadeia do Forte de Peniche, como foi vivida»

Carlos Brito mostrou-se “muito satisfeito” pela decisão do Conselho de Ministros desta quinta-feira que deu conta de um investimento do Governo na ordem dos 3,5 milhões de euros para que a cadeia do Forte de Peniche seja convertida num Museu de resistência à ditadura.

Esta medida surge no âmbito do programa de recuperação da Fortaleza de Peniche, sendo que para que o investimento seja exequível o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques admite recorrer a fundos do «Portugal 2020».

Tertúlia dedicada ao livro «Cadeia do Forte Peniche, como foi vivida»

Carlos Brito, antigo resistente anti-fascista, cujo último livro dá pelo título  «Cadeia do Forte de Peniche como foi vivida», quer agora ver uma opinião pública esclarecida de forma a entender esta decisão governamental, pois, sublinha que “preservar esta memória é o caminho para que jamais volte a haver ditadura em Portugal”, afirmou.

O livro escrito por Carlos Brito foi “antes de mais uma forma de luta contra a possibilidade que havia sido aventada de se transformar aquela cadeia de Peniche num hotel”, confirmou o autor. Por isso mesmo a obra foi produzida em pouco mais de dois meses (entre Setembro e Novembro de 2016), recorrendo às suas memórias. Para além do relato autobiográfico este livro contem poemas da autoria de Carlos Brito alusivos às lutas dos anti-fascistas que ali estavam prisioneiros e maltratados por um regime cruel e repressivo, bem como contém a lista dos presos políticos da cadeia do forte de Peniche e a ficha prisional de Carlos Brito.

De recordar que a Cadeia do Forte de Peniche era uma prisão de alta segurança do Estado Novo conhecida por ser o local onde as penas mais pesadas eram cumpridas, tendo sido palco de uma das mais famosas fugas, em 1960, de Álvaro Cunhal e mais nove reclusos. Carlos Brito esteve ali preso ao longo de seis anos e meio (Fevereiro 1960 a Agosto 1966).

O livro, publicado pela Alêtheia Editores, está à venda na livraria Lusíada, na respetiva loja em VRSA ou na Feira do Livro que decorre durante o «Sinónimos de Leitura» até este sábado 29 de Abril.

A tertúlia decorreu no âmbito do certame «Sinónimos de Leitura», com organização da Biblioteca Municipal Vicente Campinas, do município de VRSA, tendo sido moderada pelo Jornal do Baixo Guadiana.

Teve uma assistência lotada e entre os presentes a destacar as reflexões feitas por Mário Sousa e Carlos Luís Figueira que partilharam as suas visões de leitura e de vivências, respetivamente, num encontro que teve lugar ao longo de hora e meia de boa conversa.

 

 

 

Publicidade
Partilhar
Susana Helena De Sousa
Formação Superior em Jornalismo (Carteira Profissional 9621): Especialização em Imprensa Escrita pelo Centro Nacional de Formação de Jornalistas (CENJOR) Formação media pela Representação da Comissão Europeia em Portugal Experiência em Jornalismo: Rádio (Voz D'Almada, PAL FM, Guadiana FM), Televisão (TVI, AXN, RTP, Canal História) e Imprensa Escrita (Jornal de Setúbal, Semanário O Algarve, Jornal i, Jornal do Baixo Guadiana); Tese de Licenciatura Bi-Etápica: «Serviço Público de Televisão», (publicação com entrevista a Carlos Pinto Coelho) Co-produção, realização e apresentação do programa de Rádio «Se Dúvidas Existem...», do Núcleo de Estudos e Intervenção Psicolõgica de VRSA Co-produção, realização e apresentação do programa «Viver Aqui», do Núcleo de Imigração da Cruz Vermelha Portuguesa de VRSA para o Alto Comissariado para o Diálogo Intercultural Assistente de Realização para Televisão Produtora para Televisão Escrita para Reportagens Televisivas Escrita de Documentário para TV «O Contrabando no Baixo Guadiana» Escrita do texto filme documental «Um Dia na Santa Casa», de Eduardo Soares Pinto Formação Avançada em Dança Contemporânea (CIRL) Formação Inicial em Teatro (TAS, Teatro O Elefante) Formação Inicial Interpretação para Televisão (Aloysio Filho pela ACT) Participação em antologia poética «5.50» (Poetas do Guadiana) Escrita de prefácio para obra editada (Os Poetas do Guadiana nos meios de comunicação social) e outra obra inédita Autora convidada do livro de contos «Ruas» de Pedro Oliveira Tavares e João Miguel Pereira Revisão de Livro de Contos inédito de Mouji Soares Curandoria de exposição de fotografia de Eduardo Soares Pinto, Espanha Co-organização da exposição internacional de arte «Minha Fukushima» na Eurocidade do Guadiana, da Peace and Art Society Organização da Exposição «Aline´s Project» em VRSA, da Peace and Art Society Apresentação de Galas Moderação de Debates e Tertúlias Apresentação de Livros Organização de eventos Co-fundadora do Eco&Design Hotel «Monte do Malhão» Co-fundadora da Mostra Internacional de Cinema «FRONTEIRAS» Voluntariado para a área da comunicação em IPSS's

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.